domingo, 27 de dezembro de 2009

AVATAR (nota 9)

Aê, finalmente voltamos a ativa!!! Depois de uma longa pausa devido a turbulências pré-férias e ás próprias férias, voltamos com uma crítica em grande estilo, nada menos que o aguardadíssimo AVATAR de James Cameron. E vou começar já dizendo que mesmo 10 anos depois de Titanic, seu último longa lançado nos cinemas, Cameron continua sabendo fazer cinema da melhor qualidade. Esse é um dos melhores do ano, uma baita ficção cientifica e uma "revolução" no cinema.

Pra quem não sabe, o diretor passou os últimos 10 anos desenvolvendo as tecnologias de filmagem digital e captura de atuação que utilizou nesse filme, e o resultado é muito impressionante. Tecnicamente, vusialmente e sonoramente o filme é impecável. A quantidade de informações visuais que tem o tempo todo na tela é pra deixar qualquer um de queixo caído.

Pra ajudar um pouco, fomos ver esse filme no IMAX, então o 3D ajudou muito. A ação, a velocidade, a sensação de vertigem e altitude te levam para dentro do filme e você realmente se sente la dentro.
Pra quem não conhece o enredo, humanos estão invadindo o "selvagem e hostil" planeta Pandora, lar dos Na'vi, uns Smurfões/Índios que habitam a floresta, em busca de um valioso minério. Como os humanos não podem sobreviver na atmosfera, foram criados corpos baseados na genética Na'vi e Humana, onde humanos podem projetar sua consciência e assim controlar estes corpos para se infiltrar no povo Na'Vi.

Quando Jake, um fuzileiro naval paraplégico consegue se infiltrar com o seu avatar e conhece Neytiri, aí começa o problema. O enredo principal é bem manjado, não tem nada de revolucionario aí. Lí uma crítica que falava que é a história da Pocahontas, e no fundo é bem verdade. Mas a forma como essa história é contada de forma muito competente e te leva para dentro do mundo de forma que o expectador se emociona e se importa com cada criatura atingida pelo conflito final. Além disso, o enredo também aproveita para falar da preservação do nosso planeta, o assunto da moda.

James Cameron conseguiu criar um mundo incrível. O planeta Pandora é rico em detalhes, e a sensação que fica ao terminar o filme é uma vontade de voltar para aquele mundo fantástico.
Agora, qual é o lance de chamar o filme de REVOLUÇÃO no cinema? O visual criado por computação é incrível, mas o que realmente impressiona é a captura de movimento e feições dos atores, o que o diretor chama de captura de atuação. Além disso, a revolução fica mais por conta de como o o longa foi filmado, técnica que a partir de agora será empregada em muitos outros longas com certeza.

Está aí um belo blockbuster de final de anos. E espero que o próximo longa de Cameron não leve mais 10 anos pra sair.

3 comentários:

Marina disse...

Realmente, o filme é um arraso! O mundo de Pandora é incrível! Quero ver quando vai sair um parque temático sobre ele!

Guto Monte Ablas disse...

Cara,
Não sou muito fã deste tipo de filme, apesar de admirar o trabalho do Cameron, mas tanto falaram deste filme que vou assisti-lo, em 3D ainda por cima, ver qual é a desse filme loco sobre uma sociedade alternativa que nem Raul previu!...ahahahah

Kristal Lunar disse...

É MARAVILHOSO este filme!!!